logo_topo

Diocese de Uruguaiana
Rua Santana, 2612 - Centro
Uruguaiana / RS | Cep: 97501-504
Tel. (55) 3412-1246






Siga-nos:

Facebook Twitter Twitter
pesquisar em nosso site

Últimas Notícias

Relatório da 31ª Assembleia Diocesana de Pastoral é divulgado.

RELATÓRIO DA 31ª ASSEMBLEIA DIOCESANA DE PASTORAL

Uruguaiana – RS, 04 e 05 de novembro de 2016.


1. ABERTURA
Pe. Flávio Soares – Administrador diocesano, na palavra de abertura da 31ª Assembleia Diocesana de Pastoral, destacou o espírito de unidade diocesana no período de vacância, demonstrado pelos 105 participantes, reunidos como delegados das Paróquias, das Escolas Católicas e dos demais setores de pastoral da Diocese de Uruguaiana. O Administrador ressaltou que os processos realizados em nossas comunidades paroquiais, sobretudo a partir da catequese de inspiração catecumenal, demonstram que estamos no caminho certo. Ainda lembrou, que em 2017 precisaremos, à luz das Diretrizes Diocesanas da Ação Evangelizadora 2016-2019 e orientados pelo Espírito Santo, dar uma atenção especial às ações que visam promover a vida, uma vez que temos de responder ao desafio de sermos uma Igreja comunidade de comunidades a serviço da vida plena para todos.

2. ESTUDO: ”IGREJA A SERVIÇO DA VIDA PLENA PARA TODOS”
Frei Sérgio Gorgen - OFM apresentou reflexão acerca do tema do Ano Pastoral 2017: “Igreja comunidade de comunidades a serviço da vida plena para todos”, conforme orientam as Diretrizes Diocesanas da Ação Evangelizadora. A partir de passagens do Evangelho, nas quais Jesus age com compaixão e misericórdia em favor do seu povo, mostrou-nos qual é a missão da Igreja hoje... Diante da vida ferida e ameaçada o Reino de Deus precisa ser anunciado. A reflexão trouxe também elementos importantes da encíclica Laudato Si, a qual apresenta de forma sistemática o pensamento da Igreja atual sobre o cuidado da casa comum, grande desafio do século XXI. A mudança de paradigma da visão da vida apresentada no documento coloca o ser humano e a natureza num mesmo patamar, isto é, o ser humano não está mais no centro (visão antropocêntrica), mas interage com todos os seres criados (visão biocêntrica). Tal compreensão favorece e estimula ações que devem ser empreendidas em favor da promoção e defesa da vida.

Os participantes da 31ª ADP, reunidos em grupos mistos, debateram duas questões, considerando a exposição feita pelo Frei:

1. Dentro da realidade que vocês vivem quais os maiores desafios para defender uma vida plena para todos?

• Espiritualidade intimista e o individualismo; Igreja voltada para a evangelização daqueles que já estão dentro dela; visão sacramentalista da vida cristã; vida de fé dissociada de práticas evangélico-transformadoras; poucos recursos humanos; falta de profetismo dos batizados; preconceito e comodismo.

2. O que mais gera esperanças?

• Projeto IVC – Catequese catecumenal com dimensão comunitária e missionária; testemunho do Papa Francisco; ações anticorrupção; Diretrizes Diocesanas; participação e integração dos jovens em ações missionárias.


3. AVALIAÇÃO DO ANO PASTORAL 2016
Pe. Flavio retomou em forma de síntese a avaliação realizada pelas Equipes Paroquiais de Coordenação. A síntese apresentada foi elaborada a partir das respostas de onze paróquias a seis questões propostas pela ECCO no Instrumento de Trabalho, indicando os principais avanços e desafios na ação evangelizadora da comunidade paroquial:

1. Em que momentos da vida paroquial se trabalhou, consciente e deliberadamente, as dimensões da PARTICIPAÇÃO, da ORGANIZAÇÃO, do PLANEJAMENTO e da COORDENAÇÃO? Relate as suas experiências feitas nesse sentido.

As experiências paroquiais em torno da PARTICIPAÇÃO, da ORGANIZAÇÃO, do PLANEJAMENTO e da COORDENAÇÃO aconteceram...
● nos Organismos de Participação: Equipe Paroquial de Coordenação, Conselho Paroquial de Pastoral, Coordenações das Comunidades, Conselho de Assuntos Econômicos e equipes de trabalho, Conselhos Comunitários, Núcleos de Comunidades (interior) e Assembleia Paroquial de Pastoral;
● na retomada dos Encontros Paroquiais de Comunidade (após o Encontro Diocesano);
● na revitalização da Organização Comunitária;
● na descentralização de atividades da Comunidade Matriz para as Comunidades de periferia.


2. As lideranças da Paróquia têm sido objeto do cuidado pastoral em termos de capacitação de seus membros, especialmente de seus Agentes? Percebe-se o surgimento de novas lideranças?

A capacitação de Agentes Paroquiais acontece através de...
● da formação periódica para Agentes das Pastorais, Serviços e Movimentos;
● de projeto de formação ligado à IVC;
● de iniciativas especiais como: Café Teológico, novenas temáticas, encontros de formação mensais sobre o Ano Santo da Misericórdia, Semana Teológica, Semana da Família, Seminário de Vida e retiros.


3. O Plano Paroquial, recentemente elaborado, tem sido observado sistematicamente nas avaliações periódicas feitas pelo Conselho de Pastoral? A Coordenação de Pastoral tem sido um organismo mais valorizado e se tornado fator de mudanças na gestão paroquial?

Sim. As Paróquias demonstram empenho na concretização das propostas do Plano Paroquial, que são dinamizadas pela Equipe Paroquial de Coordenação e pelo Conselho Paroquial de Pastoral.


4. O desafio da Igreja “em saída” tem contribuído para ações mais descentralizadas, voltando-se, prioritariamente, para as Comunidades de periferia? Apresente algum exemplo concreto.

As “ações mais descentralizadas” indicadas pelas Paróquias são:
● Conselhos Comunitários;
● Núcleos de Comunidades do interior;
● aproximação da Equipe Paroquial de Coordenação das lideranças das Comunidades dos bairros;
● Projeto de “Mutirão Missionário”;
● visitação e animação das comunidades do interior;
● novena itinerante: Pentecostes, padroeiro, romaria;
● Missão Jovem nas Comunidades dos bairros;
● novos grupos de famílias;
● visitas às famílias e aos doentes;
● Assembleia Paroquial em Comunidade do interior.


5. Que mudanças estruturais ocorreram na Paróquia que possibilitaram uma verdadeira conversão pastoral?

Não percebemos ainda “mudanças estruturais”, mas há um evidente “espírito de mudança” em diversas iniciativas, como:
● a valorização da Catequese Catecumenal;
● os projetos sociais;
● o esforço de integração dos Movimentos Eclesiais;
● a forte implementação dos Organismos de Participação;
● o trabalho de evangelização das Juventudes;
● a integração de casais em segunda união.


6. O Projeto da IVC tem ajudado na realização de novas incursões (=compromissos ou envolvimentos) na Pastoral de Conjunto? Relate as conquistas feitas nessa área.

Não, apesar da implantação do Projeto IVC seu “novo espírito” ainda não atingiu nossos Agentes e, consequentemente, nossas práticas; mas percebemos conquistas, como:
● o surgimento de novas lideranças;
● a maior participação das famílias;
● o comprometimento de Catequistas e de Introdutores
● a integração de Liturgia, Ministérios e Movimentos;
● o crescimento e fortalecimento das Comunidades;
● o retorno de pessoas afastadas.


4. ANO PASTORAL 2017
A 31ª ADP definiu os elementos ilustrativos do tema do Ano Pastoral 2017 – ”IGREJA COMUNIDADE DE COMUNIDADES A SERVIÇO DA VIDA PLENA PARA TODOS”, conforme previsto pelas Diretrizes Diocesanas da Ação Evangelizadora (n. 06):

1. Lema: ”CUIDAR DA VIDA É NOSSA MISSÃO”

2. Texto bíblico: João 10,1-10

3. Cantos Litúrgicos: Eu vim para que todos tenham vida; A vida é o bem maior


5. ROMARIA DIOCESANA
Pe. Jonison apresentou o Projeto Romaria Diocesana, destacando que o objetivo principal do mesmo é dinamizar a romaria, uma vez que nas últimas edições constatou-se o decréscimo no número de participantes. Sendo assim, o projeto visa animar e envolver o maior número de agentes, promovendo uma maior integração e participação das comunidades paroquiais. A 31ª ADP após apreciar a proposta, aprovou o seguinte projeto:

1. Modalidade
Alternada (Uruguaiana e outra cidade da diocese):
a) Em 2017 ainda em Uruguaiana (Santuário Diocesano) para celebrar os 60 anos da proclamação de N. Sra. Conquistadora como padroeira da diocese;
b) Em 2018 em outra cidade.

2. Data
Último domingo de outubro. Quando houver o segundo turno das eleições, a romaria será realizada no domingo anterior.

3. Coordenação Geral e Organização
ECCO e Comissão local.

4. Missão Diocesana preparando a Romaria
Na última semana de agosto com a participação de todas as paróquias (quinta – domingo). No fim de semana seguinte (1º final de semana de setembro) será realizada a celebração de abertura da Romaria em todas as paróquias da diocese e a coleta especial.
4.1 A Missão
a) Três dias intensos
- Abertura com uma grande celebração na quinta-feira à noite acolhendo os missionários e a imagem de Nossa Senhora Conquistadora.
- Atividades na sexta, sábado e domingo até ao meio dia;
b) Atividades missionárias
- Durante o dia: Visitas às famílias com bênção nas casas, doentes, escolas, etc...
- À noite: Celebração nas comunidades
- Encerramento: no sábado à noite com uma procissão luminosa ou no domingo de manhã com uma grande caminhada.


6. ESCOLA CRISTÃ DE EDUCAÇÃO POLÍTICA - ECEP
Pe. Alvano destacou a necessidade de a escola ser retomada com toda a força na diocese ainda em 2017. Para tanto, uma comissão será criada para pensar a dinâmica e a realização da mesma. Servirá de orientação e inspiração a proposta da Província Eclesiástica de Santa Maria – Núcleos: Cachoeira do Sul, Santa Maria e Santa Cruz do Sul.


7. MOVIMENTOS ECLESIAIS
Pe. Flávio abordou a necessidade de promover e favorecer uma maior e mais qualificada integração dos Movimentos Eclesiais na caminhada diocesana: na vida paroquial e na dinâmica da IVC, lembrando que a proposta de retomada do esforço de integração dos Movimentos Eclesiais fora apresentada por Dom Aloísio Dilli no 40º Conselho Diocesano de Pastoral, realizado nos dias 04 e 05 de março: “Nenhum grupo, setor, serviço, pode viver isolado dentro da Igreja. Todos precisam estar interligados a esta igreja. Isto é a eclesialidade de comunhão” (Dom Aloísio). A fim de prosseguir o processo de integração, a 31ª ADP firmou os seguintes compromissos:

● Retomar nas paróquias, com os membros de cada Movimento, a reflexão realizada com as lideranças leigas dos Movimentos Paroquiais e com os párocos, nas áreas de pastorais (Uruguaiana, São Borja e Santiago), no dia 03 de setembro;
● Reunir, em 2017, os coordenadores paroquiais do EPC, a fim de melhor articular a caminhada do Movimento na diocese.
● Adaptações no esquema dos retiros dos movimentos juvenis, de modo a contemplar/ampliar os temas da inserção comunitária, da vida sacramental (Eucaristia e penitência) e das vocações.


8. CATEQUESE BATISMAL
– Pe. Jonison apresentou a proposta diocesana para a Catequese Batismal, considerando a necessidade de tornar pleno o Projeto Diocesano de Iniciação à Vida Cristã – Processo de Inspiração Catecumenal, já em andamento com as catequeses de Eucaristia e Confirmação. O trabalho e a reflexão realizados em diversos organismos de participação (Equipes Paroquiais de Coordenação, ECCO, Encontro do Presbitério, Colégio de Consultores) permitiu-nos chegar a seguinte proposta, aprovada pela 31ª ADP:

1. Pré – Batismo (1º Tempo)

a) Acolhida na secretaria da paróquia: A secretária anota o nome dos interessados no batismo e informa-os que oportunamente serão visitados por uma equipe da paróquia; A secretária passa os dados à equipe de visitadores.
b) Visita à família do batizando: A equipe vai até a família esclarecer e informar sobre o processo do batismo.
c) Catequese batismal: Consistirá em três encontros na comunidade, com os seguintes temas: Jesus Cristo e seu projeto; Igreja e a experiência comunitária de fé; Sacramentos - destaque ao Sacramento do Batismo. A Diocese oferecerá um subsídio com estes temas, com uma proposta concreta de abordagem.
d) Apresentação do batizando na comunidade: Após os três encontros, o batizando será apresentado durante a celebração da comunidade.

2. Batismo (2º Tempo)

a) Celebração do Sacramento do Batismo: A celebração do batismo poderá ser, ou não, realizada durante a missa da comunidade.

3. Pós – Batismo (3º Tempo)

a) Entrega da lembrança do batismo: A equipe retornará, oportunamente, a casa da família para entregar a lembrança do batismo;
b) Acompanhamento: A equipe visitará periodicamente a família motivando à participação na comunidade, bem como a integrar os grupos de famílias.
c) Celebração do 1º ano de batizado, com a entrega de um símbolo/mensagem aos familiares.

Outras definições acerca do processo de implantação da nova Catequese Batismal, dizem respeito à forma de promovermos a conscientização dos Agentes envolvidos na atual Pastoral Batismal e, especialmente, a Comunidade em geral acerca da nova proposta e à formação para capacitar os agentes.
Quanto à conscientização, as indicações são as seguintes:

● Inicialmente preparar um grupo de agentes missionários que deverão trabalhar com as bases;
● Apresentar com clareza o Projeto aos agentes envolvidos ainda em 2016;
● Confeccionar folhetos populares e didáticos, com linguagem acessível;
● Aproveitar os espaços nos programas de rádio e outros meios de comunicação (redes sociais);
● Aproveitar as assembleias paroquiais para tratar do assunto;
● Reunir as secretárias paroquiais para formação;
● Convite personalizado para a capacitação, a ser feito ainda em 2016;
● Apresentar aos movimentos eclesiais a proposta.

Em relação à formação dos agentes, as indicações são:

● Elaborar um Plano de Formação (ECCO – a ser apresentado no Conselho Diocesano);
● Realizar um primeiro encontro de formação a nível diocesano (formadores);
● Reativar o grupo diocesano de formadores;
● Elaborar uma agenda diocesana junto às paróquias;
● Encontros paroquiais não muito espaçados, com a presença de membros do grupo de formadores;
● Preparar bem os subsídios de formação, garantindo a unidade;
● Fazer um DVD a ser usado nos encontros de formação;
● Abordar os mesmos conteúdos que serão trabalhados durante a catequese batismal (três encontros).


9. CALENDÁRIO DIOCESANO 2017
As datas definidas para 2017 até o momento são:

25 de fevereiro – Reunião com representantes paroquiais da Past. Carcerária, em Santiago
04 e 05 de março – Celebração de abertura do Ano Pastoral 2017
10 e 11 de março – 41º Conselho Dioc. de Pastoral
12 de abril – Encontro do Presbitério/Missa do Crisma, em Uruguaiana
23 de abril – 28º Encontro Diocesano de Comunidades, em São Fco. de Assis
07 de maio – 2ª Jornada Estadual da Animação Bíblico-Catequética, em Caxias do Sul
09 e 10 de maio – Encontro do Presbitério
21 de maio – Congresso Diocesano do Apostolado da Oração, em Maçambará
05 de junho – Reunião dos Secretários Paroquiais, em Uruguaiana
09 de julho – 25ª Jornada Diocesana da Animação Bíblico-Catequética, em Quaraí
31 de julho a 03 de agosto – Retiro do Presbitério, em Vale Vêneto
13 a 19 de agosto – Semana Nacional da Família
24 a 27 de agosto – Missão Diocesana (Romaria), em Uruguaiana
02 e 03 de setembro – Celebração de Abertura da Romaria Diocesana
09 de setembro – Encontro Diocesano das Equipes Paroquiais de Coordenação
24 de setembro – 12ª Jornada Diocesana das Juventudes, em Santiago
16 e 17 de outubro – Encontro do Presbitério
29 de outubro – 26ª Romaria Diocesana, em Uruguaiana
17 e 18 de novembro – 32ª Assembleia Diocesana de Pastoral
16 de dezembro – Reuniões Diocesanas (IVC, Comunidades, SAV, Setor Juventude, Pascom, Pastoral Social, Mãe Peregrina)

Powered by CuteNews

2017 ©
Todos os direitos reservados.


Diocese de Uruguaiana
Rua Santana, 2612 | Centro
Uruguaiana/RS | Brasil
Cep: 97501-504
Telefones:
(55)3412-1246
(55)3412-1486